15 fevereiro, 2010

JESUS

Falar de Jesus é algo que comove o meu coração. Pensar que a sua morte foi a expressão do amor de Deus por mim, constrange minha alma, pois esse amor é muito grande.
Jesus que antes mesmo de nascer, era Rei, filho separado pelo Senhor. Escolhido por Deus para ser o Salvador do mundo. Que sofreu a indiferença, a perseguição, mas que era cheio do Espírito Santo. Que foi levado ao deserto e por Satanás foi tentado, mas que não cedeu a tentação. Jesus dos milagres, que tinha em seu coração a mensagem das Boas Novas. Que foi enviado para anunciar liberdade aos que estavam presos, cura aos enfermos, bálsamo ao coração aflito e triste.
O Jesus que deu vista aos cegos e que tinha prazer em amar a humanidade. Jesus que chorou, orou. Que acalmou a tempestade, que alimentou a multidão, que ensinou o perdão, a humildade, a hospitalidade, a fé.
Que ensinou o amor como ninguém jamais o viu. Mas que morreu por isso.
E já havia um plano para matar Jesus, e já procuravam formas para matar Jesus.
Jesus estava no Monte das Oliveiras e em aflição orava ao seu Pai, e com um beijo Judas o traia. Jesus foi preso. Foi tratado como bandido, maltratado como assassino, humilhado como o pior dos malfeitores. Foi ferido, por mim e por você. Ele foi envergonhado, machucado. Jesus foi ofendido, por mim e por você.
Até os discípulos o abandonaram. Negaram o seu nome.
Os soldados usaram os chicotes para ferirem Jesus. As pessoas o trataram com desprezo. Zombaram de Jesus. Condenaram Jesus.
E mais ou menos ao meio-dia o sol não brilhou mais. E houve escuridão naquele momento, escuridão que cobriu toda a terra. O véu do templo se rasgou. O meu Jesus gritou: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. Jesus morreu.
Jesus morreu por mim. Por cada pecado da humanidade, que muitas vezes, não se importa. Que não se importa com Jesus, com o seu amor, com a sua bondade. Que não entende que ele fez tudo isso por amor. Amor a cada um de nós.
Jesus morreu por mim. “Ele escolheu os cravos” por mim e por você. Ele trouxe vida aos que estavam mortos espiritualmente. Ele morreu para nos dar vida.
Mas ao terceiro dia ressuscitou o meu Jesus. A morte não o tinha vencido. Nada o pôde derrotar. Nada foi bastante para detê-lo.
Jesus me ensina tanta coisa. Me faz entender que por maior que seja a aflição ele tem sempre uma solução. Que não importa o quanto as coisas possam ir mal, haverá sempre uma saída, uma resposta, uma porta. Que as dificuldades existem para serem vencidas. E mesmo que tudo pareça perdido, para Deus nada estar perdido.
Aprendo que quando o mundo inteiro vira as costas para nós, Deus nunca nos abandona. Porque o seu amor é diferente do homem, ele nos ama incondicionalmente. Ele jamais nos deixa sozinhos, ele jamais esquece de nós. Ele chora quando a gente chora, ele vê além da aparência, ele vê o nosso coração, ele enxerga além de nós. Ele vê o que ninguém vê.
Aprendo que Deus amou o mundo de forma a dar o seu único filho por nós. E o seu amor não ver barreiras, vai além da compreensão humana. O seu amor é tão grande que não entendo como cabe dentro de nós. Um amor sem igual, perfeito, santo, indescritível, inexplicável, único.
E é esse amor que pode mudar a humanidade. Que é capaz de transformar o choro na alegria, que pode trazer paz em meio a guerra, que cura o coração do aflito e dar vitória ao oprimido. Que traz esperança ao coração do homem. Que promove o perdão. Esse amor muda vidas, muda situações, muda realidades.
Esse amor é eterno. Esse amor é JESUS.
Viviane de M. Ramalho
27/06/04

Nenhum comentário: