30 novembro, 2009

Eu estou vivo!

Visão espiritual

A fé analisa racionalmente as situações adversas e mesmo assim chega a conclusão de que o Senhor pode todas as coisas, inclusive fazer o impossível, se quiser.
As pessoas que andaram com Deus, homens e mulheres que ousaram crer, tinham muito mais do que a visão natural em funcionamento.Eram detentores de visão espiritual em amplo alcance.
Quando a visão espiritual está embaçada ou limitada, murmuramos com frequência, não sabemos que caminho seguir e somos impedidos de contemplar o cuidado, provisão e livramento do Senhor para conosco.
Um sugestão do céu para você hoje: Peça ao Senhor para abrir seus olhos espirituais.Em todas as áreas da sua vida, escolha o caminho da confiança no Senhor e rogue-o que coloque em seus olhos, o colírio do céu para que possa ver o que Ele quer te revelar em cada circunstância específica do cotidiano.
"E o servo do homem de Deus se levantou muito cedo e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então o seu servo lhe disse: Ai, meu senhor! Que faremos?E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.E orou Eliseu, e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o SENHOR abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu"(2Rs 6:15-17).

29 novembro, 2009

Coincidência?Não, Providência!

Oi, gente!Que saudades da blogosfera!Andei um pouco ausente devido a algumas mudanças na minha vida pessoal e profissional.Passada a fase de adaptação(ufa!), estou na área novamente e quero compartilhar um texto que recebi por e-mail recentemente.God bless you!
No mês de agosto de 2001, Moshê (nome fictício), um bem sucedido empresário judeu, viajou para Israel a negócios.
Na quinta feira, dia nove, entre uma reunião e outra, o empresário aproveitou para ir fazer um lanche rápido em uma pizzaria na esquina das ruas Yafo e Mêlech George no centro de Jerusalém.
O estabelecimento estava superlotado. Logo ao entrar na pizzaria, Moshê percebeu que teria que esperar muito tempo numa enorme fila, se realmente desejasse comer alguma coisa - mas ele não dispunha de tanto tempo.
Indeciso e impaciente, pôs-se a ziguezaguear por perto do balcão de pedidos, esperando que alguma solução caísse do céu.
Percebendo a angústia do estrangeiro, um israelense perguntou-lhe se ele aceitaria entrar na fila na sua frente Mais do que agradecido, Moshê aceitou. Fez seu pedido, comeu rapidamente e saiu em direção à sua próxima reunião.
Menos de dois minutos após ter saído, ele ouviu um estrondo aterrorizador. Assustado, perguntou a um rapaz que vinha pelo mesmo caminho que ele acabara de percorrer o que acontecera.
O jovem disse que um homem-bomba acabara de detonar uma bomba na pizzaria Sbarro`s...
Moshê ficou branco. Por apenas dois minutos ele escapara do atentado. Imediatamente lembrou do homem israelense que lhe oferecera o lugar na fila.
Certamente ele ainda estava na pizzaria.
Aquele sujeito salvara a sua vida e agora poderia estar morto. Atemorizado, correu para o local do atentado para verificar se aquele homem necessitava de ajuda. Mas encontrou uma situação caótica no local.
A Jihad Islâmica enchera a bomba do suicida com milhares de pregos para aumentar seu poder destrutivo. Além do terrorista, de vinte e três anos, outras dezoito pessoas morreram, sendo seis crianças. Cerca de outras noventa pessoas ficaram feridas, algumas em condições críticas.
As cadeiras do restaurante estavam espalhadas pela calçada. Pessoas gritavam e acotovelavam-se na rua, algumas em pânico, outras tentando ajudar de alguma forma.
Entre feridos e mortos estendidos pelo chão, vítimas ensangüentadas eram socorridas por policiais e voluntários. Uma mulher com um bebê coberto de sangue implorava por ajuda. Um dispositivo adicional já estava sendo desmontado pelo exército.
Moshê procurou seu 'salvador' entre as sirenes sem fim, mas não conseguiu encontrá-lo.Ele decidiu que tentaria de todas as formas saber o que acontecera com o israelense que lhe salvara a vida. Moshê estava vivo por causa dele.
Precisava saber o que acontecera, se ele precisava de alguma ajuda e, acima de tudo, agradecer-lhe por sua vida.O senso de gratidão fez com que esquecesse da importante reunião que o aguardava.
Ele começou a percorrer os hospitais da região, para onde tinham sido levados os feridos no atentado.
Finalmente encontrou o israelense num leito de um dos hospitais Ele estava ferido, mas não corria risco de vida.
Moshê conversou com o filho daquele homem, que já estava acompanhando seu pai, e contou tudo o que acontecera. Disse que faria tudo que fosse preciso por ele.
Que estava extremamente grato àquele homem e que lhe devia sua vida. Depois de alguns momentos, Moshê se despediu do rapaz e deixou seu cartão com ele. Caso seu pai necessitasse de qualquer tipo de ajuda, o jovem não deveria hesitar em comunicá-lo.
Quase um mês depois, Moshê recebeu um telefonema em seu escritório em Nova Iorque daquele rapaz, contando que seu pai precisava de uma operação de emergência. Segundo especialistas, o melhor hospital para fazer aquela delicada cirurgia fica em Boston, Massachussets.
Moshê não hesitou. Arrumou tudo para que a cirurgia fosse realizada dentro de poucos dias.Além disso, fez questão de ir pessoalmente receber e acompanhar seu amigo em Boston, que fica a uma hora de avião de Nova Iorque.
Talvez outra pessoa não tivesse feito tantos esforços apenas pelo senso de gratidão. Outra pessoa poderia ter dito 'Afinal, ele não teve intenção de salvar a minha vida: apenas me ofereceu um lugar na fila ' Mas não Moshê. Ele se sentia profundamente grato, mesmo um mês após o atentado. E ele sabia como retribuir um favor.
Naquela manhã de terça-feira, Moshê foi pessoalmente acompanhar seu amigo - e deixou de ir trabalhar. Sendo assim, pouco antes das nove horas da manhã, naquele dia onze de setembro de 2001. Moshê não estava no seu escritório no 101º andar do World Trade Center Twin Towers.
(Relatado em palestra do Rabino Issocher Frand).
'Entrai pelas portas Dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-O, e bendizei o Seu Nome.' Salmos 100:4

Meu Pai Falou

Quem nunca se apaixonou pela pessoa errada?Quem não tem em seu curriculum vitae uma história de ilusões e decepções na vida amorosa?
Vale a pena guardar o coração para a pessoa certa.Aquela(e) que o Senhor vai te apresentar e agregará à sua vida as bençãos Dele(que sempre enriquecem e não acrescentam dores).
Entretanto, se a sua vida sentimental foi bombardeada por circunstâncias desagradáveis, leve tudo ao altar do Senhor.Ele tratará com você primeiramente, curará suas feridas e então poderá aprender exatamente o que a Fernanda Brum e Eyshila cantam nessa canção: seu passado ficou pra trás, a vida com o Senhor é muito mais e no coração do Pai Celestial há alguém especial para você.
Que tal orar ao Senhor hoje pela sua vida sentimental?!Acredite, Ele quer vê-lo(a) realizado(a) nessa área para que o Nome Dele seja glorificado.


03 novembro, 2009

Hinos Antigos

Olá!
Já fez seu devocional hoje?
Que tal relembrar hinos antigos e começar o dia louvando ao Senhor?



02 novembro, 2009

O banco-lugar das decisões

A corda

A cidade de Jerusalém atravessava dias conturbados.O profeta Jeremias proclamava uma mensagem de destruição iminente: a Babilônia tomaria e destruiria aquela cidade e se alguém quisesse ser salvo, deveria render-se aos babilônicos, caso contrário, morreria pela pela espada, fome e peste na própria Jerusalém.
Os líderes daquela nação não aceitaram as palavras de Jeremias, colocaram em dúvida o posicionamento do profeta.Acusaram-no de incitar o desânimo junto ao exército local e restante do povo para que não se opusessem à invasão babilônica.Afirmando que o homem de Deus não buscava o bem do povo mas sua ruína, foram até o rei Zedequias, denunciaram-no e receberam autorização para fazer dele o que bem entendessem.
Tomaram a Jeremias e, por meio de cordas, lançaram-no na cisterna de Malquias, filho do rei, a qual ficava no pátio da guarda.Na cisterna não havia água, somente lama e o profeta de Deus afundou na lama.
A mensagem do céu de hoje confirma algo que você já sabe: o ministério profético não é fácil.Anunciar exatamente o que Deus tem comunicado ao coração daqueles que são chamados nesse ministério, em alguns momentos pode incomodar sistemas humanos, ocasionar o aparecimento de reuniões e criação de estratégias para tirar o profeta de circulação e, finalmente, custar o bem-estar daquele que leva a mensagem.
Imagine o que custou para Jeremias, pelas mãos de líderes da sua época, ser envolto em cordas, descer naquela cisterna e finalmente afundar na lama, simplesmente porque teve firmeza ao anunciar corretamente o que Deus faria àquele povo.Não foi à toa que Jeremias ficou conhecido como profeta das lágrimas.
Vivendo numa geração que tanto tem pregado a mudança de cativeiros, tendo como exemplos a vida de José, Jó, Ester e tantos outros, não podemos esquecer que há situações em que o cativeiro não é impedido, muito pelo contrário, é necessário.Deus permitiu Jeremias viver aquela experiência.
Talvez você conheça alguém que passou por essa situação ou quem sabe, ela faz parte da sua história.Não sei em qual estágio se encontra: na fase da pregação, da oposição, das cordas, da descida ou da lama.Quero que lembre que o Senhor é sempre presente, não deixa seus filhos esquecidos e tem visto todo o ocorrido.
A notícia do que oconteceu à Jeremias chegou aos ouvidos de Ebede -Meleque, um etíope, eunuco, que vivia na casa real.Inconformado com a situação do profeta e arriscando a própria vida, foi até o rei, intercedeu em favor de Jeremias e recebeu autorização para resgatar o profeta.Ainda há pessoas usadas pelo Senhor para nos socorrer!Louvado seja Deus por isso!
Ebede-Meleque levou consigo alguns homens para ajudá-lo a puxar o profeta da cisterna; trapos velhos e rotos, já apodrecidos, para que Jeremias calçasse as cordas, e assim, não tivesse seu corpo machucado; e realizou a operação com sucesso.Através de uma corda, por mãos de inimigos, Jeremias desceu à cisterna.Através de outra corda, por mãos amigas e máximo cuidado, o profeta foi retirado de lá.Quem poderia entender os caminhos do Senhor?
Deus honrou a atitude de Ebede-Meleque a ponto de fazer-lhe uma promessa usando o próprio Jeremias para comunicar-lhe sua vontade: "Vai, e fala a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Eis que eu trarei as minhas palavras sobre esta cidade para mal e não para bem; e cumprir-se-ão diante de ti naquele dia.A ti, porém, eu livrarei naquele dia, diz o SENHOR, e não serás entregue na mão dos homens, a quem temes.Porque certamente te livrarei, e não cairás à espada; mas a tua alma terás por despojo, porquanto confiaste em mim, diz o SENHOR"(Jeremias 39: 16-18).
Esse é o Deus a quem servimos!Aquele que livra, no momento certo, a seus profetas e recompensa a outros que têm a iniciativa de cuidar daqueles que fazem a obra com coração sincero e voluntário.
Profetas são especiais aos olhos do Senhor.A eles são revelados os segredos de Deus.Você foi chamado como Jeremias?Está na cisterna, afundando na lama?Não se preocupe.Deus enviará um Ebede-Meleque até você, ele jogará uma corda até o fundo da cisterna, você segurará firme, sairá de lá, contará o que passou e verá o cumprimento do que o Senhor tem conferido ao seu coração.

01 novembro, 2009

God Favoured Me

Jovens buscando a sabedoria de Deus na vida pessoal e profissional(3)

II – EVIDÊNCIAS DA SABEDORIA DE DEUS NA VIDA PROFISSIONAL DE QUEM ANDA COM CRISTO

Jesus disse: “Sem mim, nada podeis fazer” (Jo 15.5). Os cristãos precisam estar conscientes que Ele, o nosso Deus, é o Senhor da sabedoria, do conhecimento e somente com o Seu poder, Sua direção, Sua unção, Sua graça podemos ser eficientes em qualquer área da vida, inclusive na esfera profissional. Paulo falou bem quando disse que Ele é “o que opera em vós tanto o querer quanto o efetuar” (Fp 2.13).
Deus deu ao homem o livre-arbítrio, ou seja, o direito de fazer escolhas. Deu ao ser humano funções mentais, marcadamente raciocínio e juízo, a fim de que possamos avaliar opções antes de fazermos escolhas acertadas. Ou seja, Deus deu ao homem as ferramentas potenciais para o crescimento, para o desenvolvimento saudável, porém, as escolhas humanas sem a sabedoria de Deus prejudicam o projeto inicial e o Senhor concede oportunidades de correção de percurso até o dia da morte. Depois da morte, infelizmente, não há mais nada que o ser humano possa fazer por si ou pelos outros, estando sujeito ao juízo de Deus (Hb 9.27) que é fogo consumidor (Hb 12.29) e, por ser perfeito, não se deixa escarnecer e não tem culpado por inocente (Gl 6.7; Rm 2.6; 14.12). A Bíblia Sagrada diz que os salvos por Cristo serão transformados e elevados à estatura de varões perfeitos (1 Co 15.42-58; Ef 4.13). Glória a Deus por isto!
O ser humano que se deixa guiar pelo Espírito Santo de Deus e pela Bíblia Sagrada faz escolhas com sabedoria. As escolhas profissionais devem considerar o potencial e talento natural do indivíduo, mas o êxito profissional depende de outros aspectos: mercado de trabalho, valores agregados à profissão, perfil do indivíduo, expectativas pessoais, etc. O servo de Deus não pode esquecer-se de sua posição como testemunha de Cristo e sua conduta deve sempre ser guiada, primariamente, pela Palavra de Deus.
A sabedoria de Deus é evidenciada na vida profissional do ser humano guiado por Cristo com algumas atitudes. Organização é uma característica importante na vida profissional. A vida profissional não deve gerar conflito familiar ou na congregação. Se houver organização do tempo com uma ordem de prioridades alinhada com Deus, nenhuma responsabilidade será negligenciada porque o Senhor dará sabedoria e graça (inclusive para manter a alegria e a paz!). Compromisso é uma característica importante na vida profissional do servo de Deus. Compromisso tem a ver com fidelidade e lealdade. A palavra do crente é sim, sim; não, não (Mt 5.37). Compromisso gera responsabilidade e seriedade, desejo de fazer o melhor em tempo oportuno, com discrição e sobriedade, para a glória de Deus (Cl 3.17). Cooperação faz diferença na vida profissional porque promove interação, simpatia e valorização dos outros.
CONCLUSÃO
A vida cristã é vitoriosa porque o nosso Redentor é fiel e poderoso. Para sermos plenos em conhecimento, graça, alegria e paz, só é necessário abastecer nosso coração com a Palavra de Deus (Sl 119.11), falar com o Senhor diariamente em oração e súplicas, com ação de graças (Fp 4.4-8). Ele, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, abençoa nossos projetos, concretiza nossos sonhos, dá prosperidade aos nossos planos. O salmista recomenda: “Deleita-te também no Senhor, e ele concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e Ele tudo fará” (Sl 37.4,5). Amém!
Confie no Senhor de todo o seu coração, apresente suas dificuldades a Ele, peça ajuda ao Espírito Santo. Não largue a Palavra de Deus, faça dela sua fonte de instrução e lembre-se: Deus é fiel! Ele nos garante a vitória por Jesus Cristo, o nosso Senhor! Em todas estas coisas somos mais que vencedores por aquEle que nos amou! Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio conhecimento.
(Sobre a autora: Régia Carvalho é graduada em Letras, Psicologia e Teologia e atualmente, é diretora da Escola Teológica da Assembléia de Deus em Parnamirim-RN).

Jovens buscando a sabedoria de Deus na vida pessoal e profissional(2)

I – IMPORTÂNCIA E RESULTADOS DA SABEDORIA DE DEUS NA VIDA PESSOAL

1.1. A SABEDORIA QUE VEM DE DEUS E A MENTE HUMANA

A Bíblia é uma fonte inesgotável de recursos de ensino. No capítulo 4 do livro de Deuteronômio vemos que Deus ensina, concede sabedoria para que aprendamos e assegura um conhecimento superior que chama a atenção de povos e nações. Em virtude disto, Deus exorta: “Tão somente guarda-te a ti mesmo e guarda bem a tua alma, que te não esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e se não apartem do teu coração todos os dias da tua vida, e as farás saber a teus filhos e aos filhos de teus filhos” (Dt 4.9). É imperioso perpetuar o ensino bíblico. Deus assegura: “e aprendê-las-ão”.
A mente é um campo de batalha. Alguns pensamentos têm origem em nós mesmos, mas outros provêm diretamente do inimigo de nossas almas. Levar cativo todo o pensamento à obediência de Cristo demanda uma guerra espiritual contra a natureza pecaminosa e as forças satânicas (Ef 6.12,13). É preciso levar “cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” (2 Co 10.4-7). A nossa guerra contra o mal inclui o alinhamento de todos os nossos pensamentos com a vontade de Cristo. Deixar permanecer em nossa mente pensamentos contrários à santidade de Deus nos levará ao pecado e à morte espiritual (Rm 8.13, 14).
Nós temos a mente de Cristo e isto significa conhecer a Sua vontade, avaliar e considerar as coisas da mesma maneira que Deus as vê, atribuir-lhes a importância que Deus lhes atribui, amar o que Ele ama e detestar o que Ele detesta (1 Co 2.16). Significa entender o que é a santidade de Deus e a malignidade do pecado. Logo, receber o Espírito e segui-Lo faz com que os valores e a cosmovisão do crente se tornem radicalmente diferentes do modus vivendi e da sabedoria deste mundo (Fp 2.5).
Para conseguir sujeitar todos os pensamentos ao senhorio de Cristo, é preciso dar-se conta que Deus conhece todos os nossos pensamentos e que nada jamais se oculta dEle (Sl 94.11; 139.2,4). Somos tão responsáveis pelos nossos pensamentos quanto somos pelas nossas palavras e ações (2 Co 5.10; Rm 14.12).
A mente tem “portas de entrada” que são os órgãos sensoriais. Os olhos e os ouvidos são as duas portas mais largas e mais acessíveis. Tenha cuidado com aquilo que seus olhos vêem e seus ouvidos ouvem! O olho é o meio do corpo para receber luz. Se o olho for saudável, seu dono pode receber luz e empregá-la. Se o olho for anormal ou doente, seu portador não pode caminhar e trabalhar bem. Igualmente, quando a visão espiritual de alguém, quer dizer, suas atitudes, seus motivos e desejos se inclinam para Deus, então a luz da Palavra de Deus penetra em seu espírito produzindo bênçãos, fruto e salvação. O jovem cristão sábio não permite que seus olhos sejam instrumentos de concupiscência (1 Jo 2.16), não põe diante de seus olhos coisa má ou vil (Sl 101.3). Não permite que seus ouvidos sejam instrumentos de maledicência (Pv 2.2). Nos dias de hoje, é muito difícil guardar os olhos e os ouvidos, proteger-se de não contemplar o mal. Aprendemos com o Pastor Elinaldo Renovato: “Evite o segundo olhar!” O mal pode até exibir-se ostensivamente diante de nossos olhos, mas não poderá permanecer diante de você se você assim não quiser.
“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Fp 4.8). “Ora, o fim do mandamento é a caridade de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida” (1 Tm 1.5).

1.2. SABEDORIA DE DEUS NO MODO DE LIDAR COM O PRÓPRIO CORPO

Nosso corpo é “templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo” (2 Co 6.16). Deus condena a prostituição, a impureza, o apetite desordenado (Cl 3.5), “porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação” (1 Ts 4.7). Todo o nosso espírito, alma e corpo devem ser conservados plenamente irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1 Ts 5.22,23).
O cuidado com a saúde inclui alimentação adequada e equilibrada, repouso, atividade física, lazer, etc.
O corpo pode ser instrumento de glorificação a Deus, mas pode ser ferramenta de satanás para a perdição eterna do ser humano. O escritor de Provérbios fala da formosura sedutora da mulher prostituta (Pv 6.25-27): “E eis que uma mulher lhe saiu ao encontro, com enfeites de prostituta e astuto coração. Esta era alvoroçadora e contenciosa, e não paravam em casa os seus pés; ora pelas ruas, ora pelas praças, espreitando por todos os cantos, aproximou-se dele, e o beijou [...] até que a flecha lhe atravesse o fígado, como a ave que se apressa para o laço e não sabe que ele está ali contra sua vida” (Pv 7.1-27).
A mulher que teme ao Senhor e anda em Seus caminhos se veste com base em três princípios, conforme 1 Timóteo 2.9,10: honestidade, pudor e modéstia. Honestidade tem a ver com retidão, decência, integridade, pureza. Honesta é a vestimenta que não “brinca de esconder para mostrar”, que não é insinuante, que se propõe a esconder o corpo e evita despertar desejos e pensamentos impuros nos outros. Pudor é um sentimento de vergonha, constrangimento, mal-estar, gerado pelo que pode ferir a decência, a honestidade ou a modéstia. Pudor e honestidade andam obrigatoriamente juntos. Uma mulher ou homem de Deus não pode sentir-se confortável com uma vestimenta que mostre seu corpo sensualmente. Modéstia é simplicidade, moderação, sobriedade, compostura. Relaciona-se com o pudor, a decência, a honestidade, portanto, está livre dos excessos de qualquer ordem.
“Como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver” (1 Pe 1.15). Amém.

1.3. ATITUDES HUMANAS QUE FALAM DA SABEDORIA DE DEUS

A proposta de Deus para o ser humano redimido, liberto da escravidão do pecado inclui um padrão de princípios e valores elevados que exige um alinhamento do espírito do homem com o Espírito Santo de Deus no que tange à ética, à moral, às concepções. Essa sintonia do homem com Deus só pode acontecer quando o homem conhecer e prosseguir conhecendo a Deus (Os 6.3). O canal legítimo de conhecimento de Deus é a Bíblia Sagrada, onde o Senhor se dá a conhecer ao homem de forma maravilhosa e generosa.
Muitas são as evidências da presença da Palavra de Deus manifestas em atitudes e ações humanas: Humildade e submissão – reconhecer-se como servo do Senhor, considerar os outros superiores a si mesmo (Fp 2.3). Respeitar autoridades -1 Pe 2.13; Hb 13.17. É bom observar o que Paulo escreveu em 2 Co 10.17. É preciso ser inteligente para ser submisso. Autocontrole – um bom cristão não se deixa levar por impulsos. Quando ouve ou vê algo que lhe incomoda ou aborrece, prefere orar, “dar um tempo” para responder (Cl 3.12,13; 4.6). Compreensão, tolerância, paciência – não julgar os outros, solidarizar-se diante dos sofrimentos e dificuldades alheias, tolerar, ter paciência são virtudes de quem tem o fruto do Espírito Santo (1 Co 4.5; 10.31-33; 12.26,27). Respeito e educação – não se esquecer de valorizar as pessoas, mesmo as muito simples e humildes; não envergonhar ninguém; não falar ou pensar mal. Agir, falar e portar-se com discrição, consideração e delicadeza para com todos (1 Co 10.32; Ef 5.15). Pacificação – um bom cristão não estimula disputas, contendas, intrigas. Se ouvir ou vir algo que pode provocar confusão, calar, agir com discrição no momento apropriado (Gl 5.15; Fp 2.14-16). Coerência – o melhor ensino é aquele que faz parte de nossa vida prática. Não devemos ensinar ou exigir dos outros o que não conseguimos produzir em nossa própria vida (Tg 2.12; Tt 2.4,5). Prudência – precipitação é perigo iminente. Um bom cristão evita toda forma de precipitação (1 Co 1.10; Rm 14.19). Espiritualidade – um bom cristão precisa ser uma pessoa de oração, que jejua, lê a Bíblia com freqüência; freqüenta assiduamente os trabalhos de sua igreja, gosta de ensino (culto de doutrina e escola dominical); é fiel nos dízimos e ofertas, não fala mal de irmãos ou de seu pastor; busca o fruto de Espírito (Gl 5.16,22,25). Ninguém é espiritual porque possui dons ou tem “experiências” espirituais, mas porque tem uma vivência cristã alinhada com a Palavra de Deus e com o Espírito Santo (Cl 1.9-12). Honestidade – ser honesto e sincero não é dizer tudo o que lhe vem à cabeça a todo o momento. Ser honesto é ser confiável, honrado, digno, íntegro; é não mentir, andar em retidão (Cl 3.8,9; Fp 4.5; 1 Tm 1.5; 2 Co 8.21). Simplicidade – evitar os excessos em todas as áreas da vida: seja no traje, no falar, no dormir, no comer (1 Tm 2.9; 2 Co 11.3).
A vida abundante proposta por Cristo inclui viver com metas, propósitos, relacionamentos saudáveis, responsabilidade, organização, compromisso. O cristão que aprende na família a amar a Palavra de Deus como diz as Escrituras, costuma andar mais conscienciosamente no mundo, remindo o tempo, administrando corretamente as coisas materiais, investindo diligentemente nas coisas espirituais, fortalecendo-se na força e no poder do Senhor, enquanto aguarda com alegria a Vinda de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
(Sobre a autora: Régia Carvalho é graduada em Letras, Psicologia e Teologia e atualmente, é diretora da Escola Teológica da Assembléia de Deus em Parnamirim-RN).