29 julho, 2009

Notícia do Céu

Morar na casa de amigos ou parentes, a princípio, parece ser a melhor coisa do mundo.Principalmente quando somos bem acolhidos e ouvimos em todo momento: fique à vontade, a casa é sua também.
Com o passar do tempo, por mais acolhedores que sejam os anfitriões e o ambiente da hospedagem, você passa a sentir-se como um invasor, pensa que está dando trabalho e despesas para os proprietários, incomodando-se com as mínimas coisas.O motivo desse novo sentimento é muito simples: aquele lugar, bens e família não são seus e você passar a sonhar com SUA NOVA CASA.
Conectando-se agora com as coisas do céu, quero lembrar-lhe que aqui nessa terra, somos forasteiros.Essa casa, não nos pertence.Se você tem se encantado apenas com as coisas desse mundo, esquecendo-se da viva esperança de um dia morar no céu, tá na hora de tirar o pé do acelerador e puxar o freio de mão!Tem alguma coisa errada na sua condução espiritual.
Apesar de vivermos nesse mundo, não somos dele e isso você já deve estar cansado(a) de saber.Entretanto, o Espírito Santo quer que você recorde essa verdade e pense na sua identidade de cristã(o).Você foi escolhida(o) por Deus, é cidadã(0) do céu e forasteira(o) nessa terra.
Não permita que as coisas terrenas te encantem a ponto de ofuscar o desejo de morar no céu!Jesus está preparando sua nova moradia, vai te entregar tesouros que não se corrompem e quer te apresentar o resto da família que estará continuamente adorando-o por toda a eternidade!Por melhor que seja sua vida por aqui, não há de se comparar ao que está te esperando no céu, que é seu verdadeiro lugar.
Encerro o post de hoje, com o Hino O Exilado da Harpa Cristã:
"Da linda pátria estou bem longe;
Cansado estou;
Eu tenho de Jesus saudade, Oh, quando é que eu vou?
Passarinhos, belas flores,
Querem m'encantar;
São vãos terrestres esplendores,
Mas contemplo o meu lar.
Jesus me deu a Sua promessa;
Me vem buscar;
Meu coração está com pressa,
Eu quero já voar.
Meus pecados foram muitos,
Mui culpado sou;
Porém, Seu sangue põe-me limpo;
Eu para pátria vou.
Qual filho de seu lar saudoso,
Eu quero ir;
Qual passarinho para o ninho,
Pra os braços Seus fugir;
É fiel - Sua vinda é certa,
Quando... Eu não sei.
Mas Ele manda estar alerta;
Do exílio voltarei.
Sua vinda aguardo eu cantando;
Meu lar no céu;
Seus passos hei de ouvir soando
Além do escuro véu.
Passarinhos, belas flores,
Querem m'encantar;
São vãos terrestres esplendores,
Mas contemplo o meu lar"

Nenhum comentário: