30 dezembro, 2008



Um novo ano de excelentes colheitas para você!

29 dezembro, 2008

El Aire de Tu Casa

(Jesús Adrián Romero)

Quiero respirar el aire de tu casa

Disfrutar de tu fragancia y llenarme de ti

Quiero en tu presencia estar todos los días

Y llenarte de alegría en tu jardín

Quiero estar tan cerca que te pueda respirar

Y un solo latido pueda yo escuchar

Quiero estar tan cerca que te pueda yo tocar

Y que tu pureza pueda yo imitar

Quiero ser tu amigo... quiero estar contigo

Quiero navegar el mar de tu mirada

Y saber que no habrá nada

Que me aparte de ti

Quiero caminar siguiéndote los pasos

Y aprender en tu regazo

Lo que esperas de mí

Na igreja

Estava cultuando ao Senhor ontem na igreja, quando veio ao meu coração uma grande alegria por estar na casa de Deus.Imaginei aquele lugar vazio e vi quanta diferença faz o povo de Deus reunido num local para adorar ao Senhor.

Não dá para falar em igreja sem pensar em congregação, reuniões, ajuntamentos.A grande família de Deus se reúne porque anseia e sente prazer em estar na Casa do Pai.

Exercitando nossa memória, certamente encontraremos vários momentos que marcaram nossas vidas ocorridos dentro da igreja.Em 2009, vamos usar as experiências amargas e doces para evitar novos erros e continuar servindo ao Senhor com alegria na igreja local e através dela.

"Quão amáveis são os teus tabernáculos, SENHOR dos Exércitos!
A minha alma está desejosa, e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo.
Até o pardal encontrou casa, e a andorinha ninho para si, onde ponha seus filhos, até mesmo nos teus altares, SENHOR dos Exércitos, Rei meu e Deus meu.
Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente.
Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados.
Que, passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques.
Vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante Deus.
SENHOR Deus dos Exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó Deus de Jacó!
Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido.
Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios.
Porque o SENHOR Deus é um sol e escudo; o SENHOR dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão.
SENHOR dos Exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança"

(Salmos 84)

27 dezembro, 2008

(Re)Começando com Graça

Lidar com erros não é fácil, principalmente quando as consequências deles são irreversíveis e deixam marcas.Quando nos arrependemos e abrigamo-nos nos braços do Pai, o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado, a Graça de Deus nos alcança e temos uma nova oportunidade: (re)começar.
Na nova etapa, somos abençoados não pelo que fizemos de bom, não pelo que merecemos, não pelo que pensamos mas por causa da maravilhosa Graça de Deus!É ela que nos restaura, cura, liberta, transforma e inicia um novo tempo na nossa vida.
Já que estamos num período de transição, pensemos nisso.A Graça de Deus nos é suficiente para começar o novo ano e também para recomeçar com êxito, a qualquer tempo, etapas que julgamos enganosas ou perdidas em nossa vida.
"Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus" (2 Timóteo 2:1).

Ele te escuta!

"Como é vital que oremos munidos do conhecimento de que Deus está no céu. Oremos com uma convicção um pouco menor e nossas orações serão tímidas, superficiais e vazias. Erga os olhos, veja o que Deus fez e observe como suas orações são estimuladas.

Esse conhecimento nos dá confiança enquanto enfrentamos o futuro incerto. Sabemos que Deus está no controle do universo e, por isso, podemos descansar seguros. Mas também é importante o conhecimento de que este Deus que está no céu escolheu se inclinar para a terra para ver a nossa aflição e ouvir as nossas orações.

Ele não está tão acima de nós a ponto de não ser tocado por nossas lágrimas.

Assim, nós lhe confiamos o nosso futuro. Nós lhe confiamos a nossa vida.Embora não possamos ver seu propósito ou seu plano, o Senhor do céu está no seu trono e no firme controle do universo e de nossa vida".
(Trecho extraído do livro Dias Melhores Virão, do escritor Max Lucado)

22 dezembro, 2008

Feliz Natal!

"E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor".
(Lucas 2:6-11)

20 dezembro, 2008

Quero Ser Como Criança (David Quinlan)


Quero ser como criança
Te amar pelo que és
Voltar a inocência
E acreditar em Ti
Mas às vezes sou levado
Pela vontade de crescer
Torno-me independente
E deixo de simplesmente crer
Não posso viver, longe do teu amor, Senhor
Não posso viver, longe do teu afago, Senhor
Não posso viver, longe do teu abraço, Senhor
Abraça-me, abraça-me, abraça-me
Com Teus braços de amor.

1 Samuel 30:1-6

"Sucedeu, pois, que, chegando Davi e os seus homens ao terceiro dia a Ziclague, já os amalequitas tinham invadido o sul, e Ziclague, e tinham ferido a Ziclague e a tinham queimado a fogo.E tinham levado cativas as mulheres, e todos os que estavam nela, tanto pequenos como grandes; a ninguém, porém, mataram, tão-somente os levaram consigo, e foram o seu caminho.E Davi e os seus homens chegaram à cidade e eis que estava queimada a fogo, e suas mulheres, seus filhos e suas filhas tinham sido levados cativos.Então Davi e o povo que se achava com ele alçaram a sua voz, e choraram, até que neles não houve mais forças para chorar.Também as duas mulheres de Davi foram levadas cativas; Ainoã, a jizreelita, e Abigail, a mulher de Nabal, o carmelita.E Davi muito se angustiou, porque o povo falava de apedrejá-lo, porque a alma de todo o povo estava em amargura, cada um por causa dos seus filhos e das suas filhas; todavia Davi se fortaleceu no SENHOR seu Deus" (1 Samuel 30:1-6).
Você consegue imaginar a dor sentida por Davi e seus companheiros ao voltarem à Ziclague e constatarem tantas destruições?
Em cada lar havia um clamor, cada família havia sido abalada, a perda tornou-se um inimigo muito feroz contra quem todos que viviam naquele lugar teriam que lutar.Alguns choraram até não ter mais forças, outros queriam exterminar o suposto culpado. A amargura foi grande naqueles dias, porque uma das maiores dores que podemos sentir, ocorre quando vemos nossa família com sinais de destruição.
Você já deve ter sentido essa dor (ou ao menos um pouco dela) ao ver consequências do alcoolismo, drogas, mentiras, adultério, traições, desprezo, brigas, discussões, doenças ou tantas outras coisas ruins querendo tragar a paz que há em seu lar.Talvez, um dia você tenha saído de casa e deixado tudo em ordem, mas quando voltou foi surpreendido por alguma amargura e desde então, tudo tem sido muito difícil.
A notícia do céu de hoje é que mesmo que você esteja vendo uma cidade destruída pelo fogo, ainda que já tenha chorado tudo o que podia, encontra-se sem forças e alguém o acusa de ser culpado pelos acontecimentos, é tempo de lembrar-se que No Senhor podemos recobrar nossas forças para prosseguir e continuar guerreando.
Eu não vou descrever o desfecho dessa história (vou deixar a leitura do resto do capítulo para você, rs), entretanto vale ressaltar que sua família é importante e especial para o Senhor.Deus se importa com os seus.Não abandone seu posto, não permita que sua visão física escureça a espiritual, mesmo que esteja vivendo uma dor muito grande.
Não abra mão de qualquer parente seu para o inferno.Há esperança!
Fortaleça-se no Senhor e aguarde as novas estratégias do céu para obter vitória.Lembre-se: você e sua família são do Senhor.

18 dezembro, 2008

No msn

Estava conversando com uma amiga no msn, compartilhando um versículo através do qual Deus falara comigo anos atrás e de como só hoje pude compreender o real significado daquelas palavras. Enfim...falávamos das coisas do céu.
De repente, vi ela digitar do outro lado:"ah, já havia percebido isso em você, mas não queria comentar e...".Automaticamente essas palavras soaram forte em meu entendimento como uma atitude: omissão.
Fiquei muito entristecida porque entendo que entre amigos de verdade tem que haver amor fraternal, zelo e verdade.A omissão para mim, é um erro quase que fatal.Nunca consegui entender como é que alguém vê alguém sofrendo, tem remédio suficiente para aliviar a dor do outro(e às vezes até curar aquela ferida), mas simplesmente não o faz.
Alguns dizem que não tomam uma atitude por medo, outros por covardia, outros porque não têm nada a ver com a situação, mas no fundo, no fundo isso é omissão.Foi o que o levita e o sacerdote fizeram(Lucas 10:30-35).Eles passaram longe de um "problema" e continuaram seguindo seu caminho.
Pois bem, minha amiga percebeu a tristeza, se desculpou e eu respondi com um limpo e seco:" pode deixar, vai passar, tudo na vida passa".Pouco tempo depois ela saiu do msn e não nos falamos mais.Apesar dessa atitude para mim ter sido muito grave, resolvi apagá-la da mente e viver o resto da noite normalmente.
No dia seguinte, fiz meus afazeres costumeiros e, de vez em quando, o Espírito Santo me trazia à memória o que havia ocorrido.Não foi culpa dela, porque ela não teve intenção de me agredir, também não foi culpa minha porque eu nunca pensei que reagiria assim numa simples conversa.Isso poderia gerar uma rachadura num cristal tão precioso que é amizade.Era um perigo à vista e sinal de fermento que com certeza, iria levedar toda a massa que Deus tem construído de forma tão especial.
Estava com planos de parar um pouco e orar nesse dia.Entretanto, fui incomodada por esses versículos: "Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti.Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta"(Mateus 5:23-24).
De forma tão clara e precisa, entendi que uma desavença aparentemente pequena, poderia fazer crescer em mim ou nela uma erva daninha que definitivamente não era da vontade de Deus.Achei incrível viver essa experiência tão simples mas ao mesmo tempo tão grande com Senhor.Ele vela pelos sentimentos sinceros, pela verdade e amizades; se agrada das palavras agradáveis que trocamos com nossos amigos e nos apresenta pessoas para que possamos caminhar lado a lado, nos esforçar e ajudar mutuamente.O Espírito Santo não é Deus de confusão mas de unidade.
Quanto ao final da história, na primeira oportunidade que tive, via msn hehehe, pedi desculpas e rapidamente tudo foi resolvido.Mais uma vez aprendi uma lição:uma brecha foi fechada, o fermento retirado e aquilo que é de Deus, Ele abençoa mas é nosso dever saber preservar.

15 dezembro, 2008

Um telefonema

Vi esse vídeo semana passada e fiquei deslumbrada.Conversando com o Anderson, o blogueiro do Noiz Gospel, também compartilhamos a excelência do vídeo e em especial, de louvar a Deus em meio a tempestades (esse tema está ficando corriqueiro aqui no blog, rs).
Bem, mas o que me levou a postá-lo foi um telefonema que recebi hoje.De longe.De uma amiga que vive numa outra cidade.Suas palavras, sua doçura e mensagem foram exatamente o que o Casting Crows canta nessa música.Como não poderia deixar de ser, já que fui abençoada hoje, quero que você seja também: observe a letra e deixe o resto com o Senhor...

14 dezembro, 2008

Medite!


Silêncio

"Estava, porém, enfermo um certo Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e de sua irmã Marta. E Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo.Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas"(João 11:1-3).

Esse é um dos textos das Escrituras que gosto muito.Pela excelência da descrição do medo; da confiança depositada no Senhor; da esperança; da chegada da morte, da dor, do desespero e dos brados:"Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido"; da maneira como Deus tratou a Marta e a Maria; de como Ele se compadeceu, chorou e como uma única ordem sua ecoou na eternidade, trazendo vida àquele que estava morto.

Muitas vezes estamos tão perto do Senhor.Sentimos prazer em adorá-lo com o que há de melhor em nossa vida.Ofertamos tudo o que temos.Então, algo inesperado, que foge ao nosso controle, tira nossa paz e a quem chamamos?Ao nosso Senhor!São orações e mais orações.Súplicas, intercessões, lágrimas, clamor, nos vestimos com pano de saco e cinza e Deus apenas silencia.

Ouvir o silêncio de Deus é mais ensurdecedor do que qualquer barulho terrível que um ouvido humano possa suportar.Se você espera por Ele, quer ouvi-lo e recebe silêncio, sabe do que estou falando.No fundo, no fundo, sabemos que Ele já nos escutou, já sabe o que passa conosco, mas o que queremos é uma resposta, ouvir sua voz.

É nesse meio tempo que a solidão se instala, o vazio enche nossa vida, os amigos se vão e a morte chega.Significa fim de linha.Essa história me comove porque para aquela família era fim de linha.Já havia passado tanto tempo desde a primeira vez em que Jesus fora comunicado.Lázaro piorara muito.Há três dias Marta e Maria viram seu irmão morrendo.Houve brado de horror naquela casa.O sepulcro estava lacrado.

Aquele grande Amigo que havia curado tantas pessoas, operado tantos milagres, não poderia ter evitado essa dor?Onde Jesus estava quando mais precisamos Dele?Porque nos permitiu sentir essa dor que rasga o peito por dentro?Como seria o futuro?Confiaríamos no Senhor da mesma forma?

Sabe...talvez Deus esteja em silêncio com você ou comigo.Não sabemos o que vai acontecer.Mas esse texto me permite crer que sua voz ecoa na eternidade.O tempo físico para o Senhor não significa uma barreira para sua operação porque Ele é dono do tempo também.No momento certo, Ele vai chegar, falará, dará ordens acerca da nossa dor, em nosso favor.E em meio a tudo isso, precisamos saber apenas de uma coisa:a voz de Jesus tem autoridade suficiente para mudar circunstâncias perdidas.Não depende de mim, não depende de você.Depende tão somente Dele.



Semana passada, estava na clínica atendendo um paciente, quando de repente, veio ao meu coração o texto de Hebreus 11, sobre a galeria da fé, mais especificamente esses versículos:

"...E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões.Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra".

Em meio a postura que orientava ao paciente, essa frase palpitou no meu coração: "...homens dos quais o mundo não era digno".Como um pensamento puxa outro, me veio à lembrança a vida de William Carey.Conhecido como o Pai das Missões Modernas, esse homem desenvolveu durante 40 anos um fantástico trabalho missionário na Índia.

É o autor de uma das frases que mais me apaixona:

“Esperem grandes coisas de Deus, empreendam grandes coisas para Deus".

E ainda outra que acabei de descobrir relembrando sua biografia:

"Onde a paixão por Deus é fraca, o zelo por missões será fraco".

O que quero destacar aqui, por enquanto, não são os feitos desse homem, mas o que Deus trouxe à minha memória: seus sofrimentos.Desprezado pela liderança da sua igreja, foi um milagre o pregador ter chegado à Índia em meados de 1793.

Não é nada fácil ouvir de um líder: "Jovem, sente-se.Quando Deus quiser converter os pagãos, Ele o fará sem a sua ajuda ou a minha". Algo familiar com sua história?Você já tomou um banho de água fria, desses capaz de levar embora qualquer sonho missionário que você tenha?

Pois bem...ele conseguir ir.Passou 5 meses no mar, em viagem.Sua esposa era completamente contra seu chamado.Chegando ao novo continente, junto com sua família, padeceu fome, miséria e doenças.A diarréia e desidratação matou um dos seus filhos.Sua esposa entrou num processo depressivo muito forte até perder a noção da realidade e morrer.Como pregador não teve muito sucesso.A vida de Carey não foi fácil naquele lugar.

O que poderia segurar esse homem no meio de tantas aflições?Afinal, estava ou não no centro da vontade de Deus?Se estava, então porque tantas agruras e dores cobrindo sua vida?

A vida de alguns missionários sempre me chamou atenção de alguma forma.Pela paixão devotada ao Senhor haja o que houver, venha o que vier e também pela maneira como são provados.Deus me fez lembrar que esse também foi um dos homens dos quais o mundo não era digno.

Esse homem, que entregou-se por completo ao Senhor e ao seu serviço, conseguiu glorificar a Deus de maneira especial, a ponto de traduzir a Bíblia para muitos outros idiomas e conseguir mudar uma lei indiana que ordenava que viúvas fossem queimadas vivas ao lado do corpo do marido morto, além de muitos outros feitos.

Os sofrimentos que acontecem com os servos de Deus nessa terra, representam um grande mistério na terra e nos céus.Não sabemos exatamente o porque de tantas dificuldades mas é certo que dia-após-dia, os que perseveram, recebem bálsamo da parte do Senhor, cura de feridas, consolo e por incrível que pareça, Ele ainda semeia força e sonhos em seus corações para que continuem.

Aquilo que o inimigo de nossas almas pensa que é mais uma batalha ganha, Deus, o nosso Deus, Poderoso em Guerras e sempre Vitorioso, transforma em motivo de glorificação do seu nome.Por isso, Davi pôde dizer com tanta propriedade:

"Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR"(Salmos 40:1-3).

Apesar das aflições,
Fique hoje com as palavras de Carey:
“Esperem grandes coisas de Deus, empreendam grandes coisas para Deus".
E como Davi, lembre-se, diante dos feitos que Deus realizará:
"... muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR".

Biografia de William Carey

Ok.O texto é um pouco grande mas vale a pena conhecer a história desse missionário!
**********************
William Carey nasceu pobre na zona rural de Northamptonshire, no centro da Inglaterra, a 17 de agosto de 1761. Foi criado num lar anglicano e seu pai era tecelão e trabalhava num tear em sua própria casa. A infância de Carey foi rotineira, exceto por problemas de alergia que o impediram de trabalhar como jardineiro. Em lugar disso, começou a trabalhar como sapateiro. Aos dezessete anos foi convidado para ouvir uma pregação "não-conformista" e converteu-se. Aos 22 ou 23 anos dedicou-se ao estudo das Escrituras acerca do batismo e decidiu ser batizado como crente, por John Ryland Jr., no rio Nene, em 5 de outubro de 1783, tornando-se membro da igreja batista. Mesmo morando perto de Oxford e Cambridge, onde estão duas das mais famosas universidades do mundo, freqüentou a escola apenas até os doze anos. Antes dos vinte anos, casou-se com a cunhada de seu patrão, Dorothy, que era cinco anos mais velha de que Carey, e como muitas mulheres de sua classe naquela época ela era analfabeta. Os primeiros anos de casamento foram difíceis e pobres. Depois de algum tempo ele também precisou cuidar da viúva de seu falecido patrão e seus quatro filhos. Apesar destas dificuldades, Carey continuou estudando como autodidata e tornou-se um pregador leigo. Foi consagrado ao ministério em 1785 com a cooperação de John Ryland e Andrew Fuller, pastoreando a igreja batista em Moulton. Depois assumiu outro Pastorado em Leicestershire, na Associação de Northampton, embora mesmo ali fosse forçado a trabalhar para sustentar a família. Ainda assim ele seguiu um plano rígido de estudos no pastorado. Na segunda-feira estudava os Clássicos, e na terça-feira estudava hebraico e Novo Testamento grego, e nos outros dias preparava-se para os cultos. Durante esses anos no pastorado, sua filosofia de missões começou a tomar forma, e aos poucos desenvolveu uma perspectiva bíblica do assunto, convencendo-se de que a Grande Comissão é um desafio para ganhar os povos não-alcançados para Cristo. Em 1791, depois de várias pesquisas, notou que 70% do mundo não professavam o cristianismo. Quando Carey apresentou suas idéias a um grupo de pastores batistas, um deles replicou: “Jovem, sente-se”. Quando Deus quiser converter os pagãos, Ele o fará sem a sua ajuda ou a minha “. Mas Carey não desistiu. Na primavera de 1792 ele publicou um livro de 87 páginas, intitulado Uma averiguação da obrigação dos cristãos de usar meios para a conversão dos pagãos. Em 30 de maio de 1792 pregou, numa reunião de ministros da Associação Batista em Nottingham, o famoso sermão de Isaías 54.2-3:” Esperai grandes coisas de Deus e empreendei grandes coisas para Deus “. No dia seguinte", sob a influência de Fuller, foi votada a resolução de planejar a formação da “Sociedade Batista para Propagação do Evangelho entre os Pagãos”. Esta não foi uma decisão precipitada, pois, como Carey, a maioria dos ministros recebia um salário de fome, o envolvimento com missões no estrangeiro envolveria tremendos sacrifícios. Um maior interesse por missões, então, foi encorajado por Fuller e Carey. Andrew Fuller foi nomeado primeiro secretário e mais tarde William Carey, informado de que podia sustentar-se a si mesmo, ofereceu-se à nova sociedade para ir à Índia, sendo entusiasticamente aceito. Mas esta decisão de seguir para a Índia, com seu clima tropical, esbarrou na firme recusa de Dorothy. Eles já tinham três filhos, e mais um estava a caminho. Mas Carey estava disposto a ir, mesmo que sozinho. A primeira tentativa de embarcar para a Índia foi abortada. Esta demora, ainda que decepcionante para ele forneceu uma oportunidade para uma mudança de planos; Dorothy, que dera à luz há três semanas, concordou em ir, desde que Kitty, sua irmã mais nova, pudesse ir junto. Então, a 13 de junho de 1793, eles tomaram um navio dinamarquês e partiram para a Índia, chegando lá em 19 de novembro.
O começo foi bastante difícil. A Companhia das Índias Orientais tinha virtualmente o controle do país, e temia que os esforços evangelísticos de Carey diminuíssem, de alguma forma, seus lucros. Com medo de ser deportado, Carey levou sua família para morar no interior, onde passaram pobreza e grandes dificuldades. Ele teve que trabalhar o tempo todo, pois o pouco que recebia da “Sociedade" era insuficiente para seu sustento. Seu filho mais novo Peter de cinco anos, morreu de disenteria e sua esposa jamais se recuperou desta perda, ficando progressivamente deprimida e mentalmente perturbada, sendo descrita depois por colegas da missão, como “totalmente louca".
Apesar desta situação traumática e de precisar estar trabalhando continuamente numa fábrica, Carey passava horas traduzindo a Bíblia, e pregando e estabelecendo escolas. Em fins de 1795 uma igreja batista foi organizada em Malda, embora só houvesse quatro membros - todos ingleses! Mas era um começo. O culto, porém, atraía grandes multidões do povo bengalês, e Carey podia afirmar com convicção que “o nome de Jesus Cristo tornou-se agora conhecido nesta região”. Mas, depois de sete anos em Bengala, Carey não podia reivindicar nem um só convertido indiano. Mas ele não ficou desanimado. Em 1800, chegaram mais missionários ingleses, e para evitar as perturbações com o governo inglês eles se mudaram para Calcutá, no território dinamarquês de Serampore, e foi ali que ele passou os 34 anos restantes de sua vida. Com mais dois colaboradores, Joshua Marshman e William Watd, se tornaram conhecidos como o "Trio de Serampore" - uma das mais famosas equipes missionárias da história. Este posto abrigava dez missionários e seus nove filhos, numa verdadeira atmosfera familiar. Eles viviam juntos e tinham tudo em comum. Nas noites de sábado, eles se reuniam para orar e para dividir suas reclamações, sempre "prometendo amar uns aos outros'. Ruth Tucker diz:” 0 grande sucesso da Missão de Serampore durante os primeiros anos pode ser creditado em grande parte a Carey e seu comportamento santo. Sua disposição para sacrificar os bens materiais e ultrapassar o chamado do dever foi sempre um exemplo contínuo para os demais.”Como prova do trabalho harmonioso realizado em Serampore, foram organizadas escolas, levantou-se uma grande estrutura para o estabelecimento de uma impressora e acima de tudo, o trabalho de tradução continuava sendo feito. Em 20 anos, Carey e os seus amigos publicaram folhetos em 20 línguas e porções das Escrituras em 18. Durante seus anos em Serampore, Carey fez três traduções da Bíblia inteira (bengalês, sânscrito e maráthi), ajudou em outras, traduções da Bíblia inteira e traduziu o Novo Testamento e porções bíblicas em muitas outras línguas e dialetos - sempre refazendo-as para que fossem bem compreendidas. Carey disse ao completar uma de suas traduções: "Existem apenas dois obstáculos ao trabalho de Deus: o pecado do coração humano e a falta das Escrituras. Aqui, este último foi removido, pois o Novo Testamento já está traduzido em bengali “. Durante os primeiros 18 séculos de história do cristianismo foram feitas 30 traduções da Bíblia. Carey, e seus companheiros de Serampore e Calcutá dobraram o número nas três primeiras décadas do século 19! Ele também escreveu dicionários e gramáticas. A evangelização era uma parte importante do trabalho em Serampore. Carey e seus amigos, até o ano de 1818, depois de 25 anos de trabalho batista na Índia, podiam contar 600 convertidos, depois batizados, e alguns milhares que compareciam às aulas e cultos. Além dos trabalhos de tradução e evangelização, Carey procurou preparar um ministério indígena. Pensava que era fútil evangelizar a Índia com missionários estrangeiros. Estabeleceu o Colégio Serampore, em 1819, que se tornou o centro de um grupo de escolas, para o treinamento de fundadores de igrejas e evangelistas indianos. A escola começou com 37 alunos, indianos dos quais mais da metade era constituída de cristãos. Ele também se envolveu no ensino secular, tendo sido convidado para se tornar professor de Línguas Orientais no Colégio de Fort William, em Calcutá. "Tratava-se de uma grande honra para Carey, um sapateiro inculto, ser convidado para preencher tão elevada posição, a qual foi aceita com o apoio entusiasta de seus companheiros. A posição não só proporcionou uma renda muito útil aos missionários, mas também os colocou em melhor situação diante da Companhia das Índias Orientais e deu a Cárey uma oportunidade para aperfeiçoar seu conhecimento de línguas enquanto procurava responder as perguntas de seus alunos”. Por causa de seu trabalho, Carey não podia cuidar dos filhos como necessário e sua natureza dócil impedia-o de aplicar a devida disciplina, cuja falta estava se manifestando no comportamento dos meninos. Ao falar desta situação, Hannah Marshman escreveu: "O bom homem via e lamentava o mal, mas era brando demais para aplicar a correção eficaz". Mas Hannah interveio. Mas em 1807 seu filho Félix foi ordenado como missionário para a Birmânia, e em 1814 Jabez foi ordenado para ás Ilhas Molucas. Em 1807, aos 51 anos de idade, Dorothy Carey morreu. Carey sentiu-se, sem dúvida, aliviado. Ela há muito deixara de ser um membro útil da família missionária, sendo na verdade um impedimento para a obra. John Marshman escreveu como Carey quantas vezes trabalhava em suas traduções, "enquanto uma mulher insana, freqüentemente alterada ao máximo, se encontrava no quarto junto ao seu...” Depois, em 1808, ele casou com Lady Charlotte Rumohr, nascida na família real dinamarquesa e vivendo em Serampore, na esperança de que o clima fizesse bem à sua frágil saúde. Ela foi convertida pela pregação de Carey, sendo batizada por ele em 1803, e a partir daí, começou a dedicar tempo e dinheiro à missão. Carey foi verdadeiramente feliz nos treze anos em que durou o casamento, tendo se apaixonado pela primeira vez na vida. Charlotte tinha uma mente brilhante e um dom para lingüística, auxiliando Carey em seu trabalho de tradução. Ela também se aproximou dos meninos, tornando-se a mãe que eles jamais haviam tido. Ela veio a falecer em 1821. Dois anos depois com 62 anos, Carey casou-se novamente com Grace Hughes, uma jovem viúva, que cuidou dele até o fim da vida. A Companhia das Índias Orientais opôs-se ao trabalho missionário, o que acarretou reações hostis na Inglaterra. A Companhia receava perder seus lucros da escravidão. William Wilberforce (1759-1833), membro da igreja anglicana, abolicionista do tráfico de escravos e líder político no Parlamento inglês, tornou-se o campeão da causa missionária, juntamente com outros, que alcançaram sucesso em uma resolução do Parlamento a favor da liberdade dos missionários batistas na Índia, em 1813.
Um incêndio em Serampore destruiu muito do trabalho feito pelos missionários até 1813 - seu enorme dicionário poliglota, dois livros de gramática e versões inteiras da Bíblia. Os batistas ingleses contribuíram com 10.000 libras para a aquisição de novo equipamento.
Durante quinze anos a missão em Serampore trabalhou e conviveu em relativa harmonia, mas quando novos missionários chegaram, a situação mudou. Eles não se sujeitaram ao estilo de vida comunitária da missão. Um deles exigiu “uma casa separada, estábulo e serviçais”, e achavam os veteranos, especialmente Joshua Marshaman, ditatoriais. Como resultado, por causa da inabilidade do grupo mais novo, houve uma divisão, e os missionários mais novos formaram a União Missionária de Calcutá, a poucos quilômetros de seus irmãos batistas de Serampore. William Ward descreveu a situação como ”indelicada”. Mesmo os membros da Sociedade, na Inglaterra apoiaram os jovens, e por isto, em 1826, a Missão de Serampore cortou relações com a Sociedade Missionária Batista. Ele morreu em 1834 em Serampore e a seu pedido uma tabuleta simples marcou sua sepultura, com a inscrição: “Verme vil, pobre e incapaz, caio em Teus braços carinhosos”.
Carey estava avançado no tempo em sua metodologia missionária. O bispo anglicano Stephen C. Neill propôs um modelo hierárquico de ação em três níveis sobre a penetração do evangelho na cultura. Para ele, em primeiro lugar, alguns costumes não podem ser tolerados, tais como: a idolatria, infanticídio, canibalismo, vingança, mutilação física, prostituição, ritual etc. Em segundo lugar, alguns costumes podem ser temporariamente tolerados, tais como: a escravidão, o sistema de castas, o sistema tribal, a poligamia etc. E, em terceiro lugar, há alguns costumes cujas objeções não são relevantes para o evangelho, tais como o homem e a mulher sentarem-se separados nos cultos, costumes alimentares, vestimentas, hábitos de higiene pessoal etc. Uma outra categoria que poderia ser acrescentada entre a segunda e a terceira, trataria de assuntos onde há controvérsias entre as igrejas. Antecipando estas formulações, Carey por um lado, se opôs às práticas indianas prejudiciais, como a queima de viúvas e o infanticídio, mas em outras áreas procurou deixar a cultura intacta, jamais tentando impor sua cultura ocidental. Seu objetivo era fundar uma igreja nativa “através de pregadores locais”, fornecendo as Escrituras na língua nativa, e foi com esta finalidade que dedicou sua vida.
Missões não são o alvo final da Igreja, mas o culto é. O culto é o impulsor das missões, e o alvo das Missões é trazer as nações para glorificar a Deus. “Quando a chama da adoração queima pelo verdadeiro calor da real dignidade de Deus, a luz das missões brilhará até os mais remotos povos da terra”. Onde a paixão por Deus é fraca, o zelo por missões será fraco. William Carey expressou esta conexão da seguinte forma, “Quando eu deixei a Inglaterra, a minha esperança de conversão da Índia era muito forte; mas em meio a tantos obstáculos, ela viria a morrer, a menos que fosse sustentada por Deus. Bem, eu tenho Deus, e a Sua palavra é a verdade. Ainda que as superstições dos pagãos fossem mil vezes mais fortes do que são e o exemplo dos europeus mil vezes pior; mesmo que eu fosse desertado por todos e perseguido por todos, ainda assim a minha fé fixa na Palavra que não pode falhar, se elevaria acima de todos os obstáculos e venceria cada tentação. A causa de Deus triunfará". Se Carey perseverou foi por causa da visão de um Deus soberano e triunfante. Esta visão tem de vir primeiro. Experimentá-lo na adoração precede o propagá-lo em missões.
Dedicado Integralmente, William Carey era um autodidata, apaixonado por lingüística botânica, história e geografia. Ele aprendeu latim, grego, hebraico italiano, francês, holandês bengali, sânscrito, marathi, outras línguas orientais. Uma página de seu diário dá a idéia de sua dedicação: Leu a Bíblia em hebraico às 5h45 para sua devoção particular, realizou o culto doméstico em bengali às 7h, leu com um intérprete um escrito em marathi às 8h, trabalhou na tradução de um poema em sânscrito para o inglês às 9h, deu uma aula de bengali na Universidade às 10h, leu as provas do livro de Jeremias em bengali às 15h, traduziu o oitavo capítulo de Mateus para o sânscrito com o auxílio de um tradutor da Universidade às 17h, estudou um pouco a língua telinga às 18h, pregou em inglês para um grupo de oficiais britânicos e suas famílias às 19h30, traduziu o nono capítulo de Ezequiel para o bengali às 21h, escreveu cartas para a Inglaterra às 23h, e antes de dormir, ainda leu um capítulo do Novo Testamento em grego. Para Carey, o que contava não era dar tempo integral à obra de Deus, mas dar dedicação integral. Apesar de não ter feito nenhum curso de primeiro e segundo graus, Carey recebeu o título de Doutor em Divindades da Brown University em 1807 aos 46 anos, e foi membro de três sociedades científicas com sede em Londres. Foi um dos poucos missionários que nunca voltou à pátria, nem para férias, nem para trabalhos especiais, nem para morrer. Teve três esposas, sete filhos e 16 netos, dos quais o último veio a falecer em 1957. O púlpito da Abadia de Westminster, em Londres, do qual se faz a leitura das Sagradas Escrituras em todas as cerimônias religiosas inclusive casamentos da família real, é dedicado a Carey. Na madeira do púlpito está escrita a maior mensagem do famoso missionário: “Esperem grandes coisas de Deus, empreendam grandes coisas para Deus".
(Retirado do site: http://www.cicero.com.br/evangelista/williamcarey.htm)

12 dezembro, 2008

Marcos Witt : Aqui estoy otra vez

Essa é uma das músicas que normalmente escuto e canto quando quero expressar minha mais profunda gratidão à Deus.Dificilmente consigo cantá-la até o final porque acabo me emocionando (e, cá entre nós, lágrimas sempre expressam o que não conseguimos dizer com palavras).Como hoje é um dia de gratidão, resolvi compartilhar com você:

Aquí estoy otra vez
Con el corazón rendido y sentado a tus pies
Aquí estoy ante ti
Esperando que tu gracia se derrame sobre mi
Te adoro, Te adoro
No hay mas palabras que me ayuden
A describir mi devoción
Yo te amo, Yo te amo
Cuan limitada es mi expresión
Para declarar mi admiración
Recibe ahora esta canción
Que sale de mi corazon
De gratitud y amor por ti Jesus
Ya son muchas veces
Que no encuentro las palabras
Que describan lo que siento en mi interior
Solo se que siempre escuchas
Cuando intento expresarte mi amor

Salmos 139

"SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó SENHOR, tudo conheces. Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face?Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim. Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa;Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe.Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles!Se as contasse, seriam em maior número do que a areia; quando acordo ainda estou contigo.O Deus, tu matarás decerto o ímpio; apartai-vos portanto de mim, homens de sangue.Pois falam malvadamente contra ti; e os teus inimigos tomam o teu nome em vão.Não odeio eu, ó SENHOR, aqueles que te odeiam, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? Odeio-os com ódio perfeito; tenho-os por inimigos. Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos.E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno".
****************************
Obrigada, Senhor por mais um ano de vida!

11 dezembro, 2008

Tocando em Jesus

Estava meditando sobre a enfermidade da mulher que padeceu muitos anos com um fluxo de sangue.Uma mulher sofrida com um histórico de vida de arrepiar os cabelos.Fiquei pensando sobre suas várias tentativas de cura.A cada vez que ela investia em sua saúde, que acreditava que havia esperança, vinha uma frustração.A Palavra nos diz que ela gastou tudo o que tinha.Até que... ouviu falar de Jesus!E desejou em seu coração apenas tocá-lo.Não um toque em suas mãos, pés ou cabelos mas apenas um toque nas suas vestes.

Naquele dia muitas pessoas tocavam Jesus, a multidão que o seguia, o apertava. Certamente esse mesmo aglomerado de pessoas também foi um obstáculo àquela mulher.O preconceito que ela sofreu e sua fragilidade física dificultavam seu caminho, entretanto, ela conseguiu romper todas as suas limitações do mundo físico e avançou no espiritual.Ela creu e tocou nas vestes do Mestre.O próprio Jesus reconheceu que Dele saíra poder.Os discípulos mal podiam compreender que Jesus havia sentido um toque diferente no meio daquela multidão, porém, o resultado nós conhecemos: saiu poder do Senhor e aquela mulher foi liberta!

O Senhor falava ao meu coração sobre a necessidade de romper no mundo físico e avançar no sobrenatural.Ainda que haja muitos embaraços, fraqueza, solidão, mesmo que tudo pareça contrário, vá até o Senhor.Mesmo apertado pela multidão, estenda sua mão e toque-o com fé.Ele reconhecerá seu esforço, seu toque.O poder que sairá do Senhor trará libertação pra você como aconteceu naqueles dias.Lembre-se de que Jesus é o mesmo ontem, hoje e será eternamente. Avance no sobrenatural e, com fé, toque em Jesus!

"Ven te necesito"

(Jesus Adrian Romero & Lilly Goodman)

10 dezembro, 2008

Instrumento de Dez Cordas

"Certa vez, numa reunião de oração no meio da semana, um homem se levantou e começou a orar assim:
'Senhor, eu te louvarei com o instrumento de dez cordas'.
Praticamente todos os presentes abriram ao menos um dos olhos para ‘conferir’, pois no início da reunião não víramos nenhum instrumento musical ali. Percebi uma atmosfera de perplexidade no ar. Como é que aquele irmão iria louvar ao Senhor com um instrumento de dez cordas?
E então ele continuou a orar:
'Eu te louvarei com meus dois olhos, olhando somente para Ti. Louvar-te-ei com meus dois ouvidos, ouvindo apenas a Tua voz. Exaltar-te-ei com o trabalho de minhas duas mãos, trabalhando na tua obra, aonde quer que me mandares.Eu te honrarei com meus dois pés, andando sempre nos teus estatutos e indo aonde quer que me enviares. Com minha língua, engrandecerei o Teu santo nome, dando testemunho constante da Tua benignidade.Eu Te adorarei com meu coração, amando somente a Ti e acolhendo todo o Teu incondicional amor que nele derramas, em Tua misericórdia, graça e perdão.Agradeço-Te, Senhor, porque em meu ser criaste este instrumento de dez cordas; peço-Te que me mantenhas afinado e toques em mim conforme o Teu querer, fazendo soar as melodias da Tua graça. Que a harmonia da minha canção de louvor seja agradável a Ti, e glorifique o Teu nome. Amém.'
Esse homem sabia mesmo o que significava louvar a Deus com todo seu ser. De fato devemos louvar ao Senhor com a mente, oferecer-lhe louvor com o coração e expressar louvor com os lábios. Enfim, devemos louvar ao Senhor com tudo o que temos e somos, para a Sua glória".
(Trecho do livro Fortalecidos pelo Louvor, de Michael Youssef. Editora Betânia)



Sl 30:5

"Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida.O choro pode durar uma noite; pela manhã, porém, vem o cântico de júbilo"(Salmos 30:5).

Tem épocas na vida da gente que não tem jeito, por mais que sejamos advertidos, insistimos, erramos, quebramos a cara e voltamos machucados para os braços de quem já nos acolheu um dia.Você já deve ter vivido isso enquanto criança.Qual filho nunca retornou aos braços dos pais após um tombo que lhe custou um ferimento?!

Desobediência traz uma série de consequências inclusive o desapontamento de Deus e a sua correção.Assim como um pai corrige a seus filhos, o Senhor também nos corrige.E o faz porque nos ama.Afinal, andaríamos afundados nos nossos erros, sujos pela lama do pecado?De forma alguma!Ele quer que participemos da sua santidade (Hebreus 12:10).

A correção por mais prolongada que pareça ser, no fundo no fundo, dura só um momento (o tempo de Deus não segue nossa cronologia).Ele se compadece de nós pela sua infinita misericórdia.E ainda que sua noite já tenha ultrapassado as 12 horas, 12 dias, 12 anos ou você nem sabe mais quanto tempo faz, apenas carrega consigo uma grande dor, lembre-se: a noite vai passar, o dia chegará.
Há tempos determinados por Deus para que choremos e pranteemos mas também há tempo para sorrir e saltar de alegria (Eclesiastes 3).Anime o seu coração, renove sua esperança e confiança no Senhor e aguarde o amanhecer.Os céus estão ansiando o momento em que sua alegria romperá em júbilos e louvor Àquele que muda cativeiros.

04 dezembro, 2008

DERRUBANDO GOLIAS - Max Lucado

Uma outra dica de leitura para você!
Com um título sugestivo, novamente, fiquei encantada com mais um livro do Max Lucado.Apesar de tratar de um tema corriqueiro(afinal, quem não tem gigantes para derrubar?), o autor consegue nos prender à detalhes da vida do Rei Davi em seus momentos de glória e dias na caverna, de forma muito interessante, nos proporcionando bons momentos de reflexão.
Bem...veja o próprio Max Lucado falando sobre sua obra e seja edificado com esse livro!

Quanto Amor (Paulo César Baruk )

Um “Blog do Céu”

Olá!
Domingo aconteceu algo muito especial.Foi publicada uma matéria sobre a Blogosfera em um jornal de grande circulação em Teresina(PI), O Dia.Nessa matéria, esse blog foi citado num trecho que levou o seguinte título: "Um Blog do Céu".Dá uma olhadinha:

"Um 'Blog do Céu'
Um blog pode ser descrito como uma folha em branco, onde o dono tem liberdade para escrever o que quiser, desde que entenda que quem quiser também poderá ter acesso a essa folha.Existem blogs que tratam de diversos assuntos, tais como notícias(oglobo.globo.com/pais/noblat);nutrição (blogdadieta.com.br); celebridade(http://www.papelpop.com/); e tantos outros possíveis e imagináveis temas.
A blogueira Danielle Fernandes,fisioterapeuta, 26 anos, acredita que tem um blog “diferente”, por trabalhar nele o tema cristão.Mas, ela está longe de ser a única diferente, já que somente nos seu blog existem links para outros cinco blogs que tratam do mesmo assunto;e em cada um desses há outros links para outros blogs cristãos. Esses blogueiros participam da chamada blogosferacristã, como uma forma de se identificaram nesta imensa rede.
O blog do Céu (blogdoceu.blogspot.com) existe há pouco mais de um ano, e é o primeiro e único blog escrito por Danielle. Ela conta que sempre gostou de debater temas cristãos e já teve algumas oportunidades de compartilhar reflexões bíblicas em grandes e pequenos auditórios, principalmente entre jovens e adolescentes.Nestas reflexões, ela percebeu que muitas vidas, de pessoas que ela nem conhecia bem, foram edificadas. E então pensou em publicar aquilo que estava em seu coração em um local onde mais pessoas pudessem ser alcançadas.“Eu pensei: por que não publicar o que está vindo do Céu ao meu coração?Meu desejo era de que outras pessoas também fossem fortalecidas, edificadas e consoladas em Cristo Jesus.E assim nasceu o Blog do Céu”, relata.
O blog de Danielle tem um acesso médio de 20 pessoas por dia. O que lhe deixa mais feliz são os comentários ou críticas deixados pelos leitores.Para ela, o mundo dos blogs é muito curioso, interessante e enigmático,por conta da infinidade de surpresas que surgem: “Escrever, ler a Bíblia, e ver vidas transformadas em Jesus são algumas das minhas paixões.Através do Blog do Céu tudo isso pode ser possível com outros grandes acréscimos como, por exemplo, a grande quantidade de amigos que ganhamos dia após dia e outras tantas surpresas que encontro a cada vez que acesso o Blog”.
A blogueira conta que existem premiações na blogosfera.Alguns blogs recebem prêmios ou selos como forma de reconhecimentopelo trabalho efetuado. Existem premiações pela originalidade, conteúdo, layout, finalidade, entre outros aspectos.Um blog bastante conhecido, do jornalista MarceloTas(marcelotas.blog.uol.com.br), por exemplo, foi premiado, em 2007, com o reconhecimentoda rede alemã DeutscheWelle como o melhor blogem português e pelo público como o melhor blog. (PR)"
Bem, fica registrada aqui a minha gratidão à equipe do Jornal O Dia e, de forma especial, à Pollyana Rocha que sempre tem acompanhado esse blog e não perde a oportunidade de deixar um comentário por aqui, rs. Deus os abençoe ricamente!