12 outubro, 2008

Assassinato

"E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou"(Gênesis 4:8).

Um assassinato é algo muito cruel e causa indignação, dor e revolta.Todos esses sentimentos são multiplicados e agravados quando esse ato ocorre entre pessoas conhecidas, amigos, membros da família.

Conhecendo um pouquinho da história de Caim e Abel, me parece que Caim não suportava seu irmão até que resolveu tirá-lo de circulação e o fez de forma definitiva, marcando assim, o primeiro homicídio da história da humanidade.

Deus já havia advertido Caim quanto aos seus sentimentos invejosos e rancorosos:"Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar".
Entretanto, Caim fez ouvido de mercador. Seu plano estava traçado, não haveria testemunhas ou alguém que pudesse acusá-lo.Era definitivo:Abel seria eliminado e seus problemas estavam acabados.

Lendo essa história lembrei daquelas pessoas que são da igreja-organização mas não são da igreja-espiritual, e que não suportam em ver alguns da "linhagem da Abel" oferecendo sacrifícios e sendo aceitos por Deus(não há nada pior para um joio do que ser rejeitado porque o trigo foi escolhido) e então, a história se repete mais uma vez.

Na maioria das vezes o assassinato espiritual ocorre através de uma calúnia, de inveja, de difamações, de divisões, de oposição e tantas outras coisas, inclusive com requintes de crueldade psico-espiritual.
Fazendo uma conjectura, talvez Abel desconfiasse que seu irmão não ia muito com sua cara mas creio que jamais imaginaria que ele seria capaz de intentar contra sua vida! Sinceramente, eu não sei o que é pior.Se é a malignidade de pessoas como Caim ou o fato de ter um irmão e isso não provocar uma mínima tentativa de misericórdia ou ponderação na idéia do assassinato.

Infelizmente, encontramos nas nossas igrejas pessoas sinceras com Deus mas que estão feridas, amarguradas, algumas à beira da morte porque um dia inocentemente foram ao campo com seu irmão e sem misercórdia foram feridas.O que dizer então das que já morreram?Das que tiveram sua fé roubada?

O fato é que embora Caim tenha feito o que fez, houve um clamor de um morto que subiu a presença de Deus:E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.

Não há Juiz melhor do que o Senhor.

Eles eram irmãos.Abel era inocente, Caim culpado.A agressão foi fatal.Nenhum ser humano testemunhou qualquer coisa.Caim continuou sua vida normamente.Acontece que Deus viu tudo.

Deus viu a tramóia, viu a dor, viu a traição, viu a morte.Deus viu e muito mais do que isso:Deus ouviu um clamor!O clamor de um sangue, porque sangue fala de vida.E Deus julgou essa causa retamente.

Há certas injustiças que sofremos na vida que só o Senhor pode julgar e nós só podemos clamar.Traições pelas quais passamos que somente Deus, que vê todas as coisas, pode dar o veredicto final.Principalmente quando somos vítimas de "irmãos".Lembremos que o Senhor não tem filhos preferidos e sempre será justo.

Isso tranquiliza meu coração.Principalmente quando vejo algumas arbitrariedades sendo cometidas nas igrejas-organização.Quando vejo assassinatos, quando sou ferida, no campo, por um irmão. Se você tem atravessado uma circunstância assim, nem se preocupe.O Senhor é justo e fiel, virá com providência no momento certo e da maneira que lhe apraz.
























2 comentários:

Polly Rocha disse...

Se depois da tempestade vem a bonaça, depois de momentos de introspecção vêm textos do céu!!!
Abraços, minha irmã!

Seminário disse...

Muito interesante seu post,que Deus possa continuar lhe abençoando.Parabéns!!!!
Seminario Internacional Teologico de São Paulo