16 junho, 2008

Ana-parte 1

"Porém Ana respondeu: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito"
(I Sm 1:15a)

Muitas coisas me chamam atenção nesse texto por isso vou escrever sobre Ana aos poucos.Posts à prestação rsrs.Se você puder, aproveita pra ler 1 Samuel 1 e 2, ok?
O verbo ser é qualificado pelo adjetivo que o justifica.Ana não afirmou que estava atribulada, não era apenas um momento passageiro.Quando criticada pelo profeta Eli, ela definiu-se usando o verbo SER.A angústia em sua alma era uma dor conhecida, fazia parte da sua identidade.
"Chamamos de angústia a sensação psicológica, caracterizada por 'abafamento', insegurança, falta de humor, ressentimento, dor e ferida na alma. Na moderna psiquiatria é considerada uma doença que pode produzir problemas psicossomáticos.Pessoas que apresentam o quadro de angústia sem acompanhamento profissional, desenvolvem outros distúrbios emocionais, tais como cansaço físico-mental, abaixamento da auto-estima e comportamentos inadequados".
Ana estava doente!E arrastava-se com essa doença por muitos anos não podendo desfrutar das delícias de servir ao Senhor com alegria.Muitas vezes em nossas igrejas, nos deparamos com doentes emocionais e não lhes oferecemos a devida atenção em conversas, ajuda em oração e encaminhamento profissional adequado.
Quantas e quantas vezes tenho aconselhado pessoas que só precisavam de um ouvido pronto a escutá-las e compreendê-las sem julgamentos.Dos muitos pacientes que chegam às minhas mãos como fisioterapeuta, poucos possuem uma patologia física em si.A grande maioria apresenta sintomas de somatização de angústias da alma e do espírito!
Seria muito interessante lembrarmos que nem todos reagimos da mesma forma a uma mesma decepção ou calamidade.O que para você pode ser fácil de superar para seu irmão próximo pode ser um final de linha.Como cristãos, estejamos atentos a isso.Lembremos que o amor tem efeito curativo que nenhum remédio anti-depressivo possue.Amemos de fato e de verdade.
Estejamos presente nas horas de alegrias de nossos conhecidos e amigos e também nas horas em que for necessário chorar com os que choram.Um aperto de mão, uma conversa engraçada, fazer o outro se sentir importante e amado vale muito mais do que satisfazer apenas nossós próprios desejos porque melhor coisa é dar do que receber.

Nenhum comentário: