27 abril, 2008

Rendição

Nesses últimos dias o Senhor tem falado muito ao meu coração sobre uma atitude específica do adorador: a rendição.Em Romanos podemos ver o apóstolo Paulo descrevendo uma verdadeira briga entre nosso homem carnal e espiritual, ao ponto de declarar:

"Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço.E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está.Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico.Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo.Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros.Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?"

A alguns anos atrás uma missionária me falava muito sobre a necessidade de a cada dia morrer um pouco para que Cristo pudesse viver nas nossas vidas.Confesso que nunca entendia o que ela queria dizer com essa colocação e agora depois de tanto tempo, o Senhor traz esse esclarecimento ao meu coração de forma tão simples.
É muito fácil durantes os cultos cantar:"abro mão dos meus sonhos, abro mão da minha vida, abro mão dos prazeres por Ti..." mas colocar isso em prática exige de mim e de você uma atitude de renúncia e de rendição.Era o que minha amiga chamava de morte diária.
Há pessoas que renunciam, entretanto, de vez em quando, lembram-se de suas atitudes, e a usam como um pretexto de maior santidade ou confrontam Deus afirmando que renunciaram muitas coisas por causa Dele e portanto têm maiores direitos.Mas a grande questão aqui não é apenas a renúncia e sim, essa atitude associada à rendição ao Senhorio de Cristo.
Render-se ao Senhor é curvar-se diante de sua Majestade e Santidade, sem questionamentos, sem querer mostrar ao Senhor nossos feitos.É quando o homem espiritual prevalece naquela briga descrita por Paulo citada no início do texto.É quando em plena consciência, adoramos ao Senhor independentemente da circunstância que estamos atravessando crendo que Ele suprirá nossas necessidades e fará o melhor para nossas vidas.O adoramos por tudo o que Ele é.
Negar a si mesmo e render-se ao Senhor é adoração, é atitude!E principalmente, é entregar os pontos ao Senhor, dar-se por vencido por Ele e reconhecer que o agir do Espírito de Deus transformando nossa natureza, traz consigo o brilho da glória do Pai Celestial sobre seus filhos.Você já se rendeu?

Nenhum comentário: