18 março, 2008

Orar, cair e levantar

Aqui no nordeste algumas bandas de forró têm feito muito sucesso com uma música cujo refrão diz:"beber, cair e levantar...".Aliás, essa é a canção de todos os meus amigos "beberrões" a caminho de um bar e às vezes acho interessante como isso é cantado e até vivido com tanta empolgação!Bem...mas não quero nesse texto falar mal de quem bebe, até porque sou fisioterapeuta e não juíza hehehe.Citei a música porque quando a ouvi lembrei-me de algo que não tem muito a ver com o convite que ela faz, mas está virando moda entre os crentes pentecostais: orar, cair e levantar.
Esse é um assunto sério que merece nossa atenção e reflexão.É muiiito bom quando o Espírito Santo se apresenta, quando há manifestação dos dons espirituais e muitas vezes somos consolados, edificados e até exortados em meio aos cultos que oferecemos ao Senhor.Mas precisamos estar atentos àquilo que chamo de "trapalhadas do meio penteco" que são distorções das coisas santas de Deus favorecendo homens, trazendo grandes confusões inclusive doutrinárias, e abrindo brechas para operação do engano.
Bem, como esse tema é um tanto polêmico, deixo para você um texto do blog pentecostalismo(http://pentecostalismo.wordpress.com/) e também o desafio de comentá-lo aqui.Vamos debater esse assunto do céu?
"O ‘cair no espírito’ é consistente com uma Cosmovisão Bíblica?

Hoje milhares de pessoas estão rotineiramente “caindo no espírito” em nome de uma demonstração moderna e palpável do poder do Espírito Santo. Os praticantes alegam ampla validação desse fenômeno na Escritura, na história da igreja e na experiência. Contudo, o fenômeno não apenas está claramente ausente no ministério de Jesus e dos Apóstolos, mas é totalmente inconsistente com uma cosmovisão bíblica.Primeiro, como apropriadamente observado por fontes pro-Pentecostais, tais como o Dictionary of Pentecostal and Charismatic Movements (DPCM) (Grand Rapids: Zondervan, 1988): “Um batalhão inteiro de textos-prova da Escritura é alistado para apoiar a legitimidade do fenômeno, embora a Escritura claramente não ofereça nenhum apoio para o fenômeno como sendo algo a ser esperando na vida cristã normal” (p. 790).
Além do mais, a experiência de “cair no espírito” pode ser atribuída à mera manipulação humana. De acordo com o DPCM, “em adição a Deus, a fonte da experiência pode ser uma resposta puramente humana à auto-sugestão, pressão do grupo, ou simplesmente um desejo de experimentar o fenômeno” (p. 789). Os sarcásticos podem escrever sobre o uso de estados alterados de consciência, pressão do grupo, expectações, e poderes sugestivos como mera manipulação sócio-psicológica, mas os cristãosdevem perceber uma ameaça ainda mais significante – essas técnicas são solo fértil para o engano satânico e espiritual. Finalmente, o fenômeno de “cair no espírito” tem mais em comum com o ocultismo do que com uma cosmovisão bíblica. Um popular praticante do “cair no espírito”, Francis MacNutt, confessa honestamente em seu livro Overcome by the Spirit, que o fenômeno é extremamente similar às “manifestações de vudu e outros rituais mágicos” e é “encontrado hoje entre tribos primitivas da África e América Latina”. Em rígido contraste, a Escritura deixa claro que como cristãos devemos ser “sóbrios e alertas” (1 Pedro 5:8), ao invés de estar num estado alterado de consciência ou “cair no espírito”.

2 comentários:

*¤•Ana Paula•¤* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
*¤•Ana Paula•¤* disse...

Aleluiaaaa!
Glória a Deus por essa palavra. Realmente é assim que acontece...
a 'unção do cai-cai'. Muitas pessoas estão caindo aí e nem sabe o pq. Ficam brincando com coisas sérias, achando que o Senhor irá derrumar os seus servos (como muitos caem e até se machucam). Não é o fato de cair somente, mas pela presença da glória às vezes não conseguimos ficar em pé. O nosso corpo 'natural' não suporta o 'peso' da Glória. Nesse caso o cair tem sim uma finalidade: Se vc cai, vc se levanta transformado. Alguma coisa na sua vida tem que mudar, senão não adianta de nada o cair. =D

Bjinhos Dani!!