02 dezembro, 2007

Até que a morte nos separe

"Quando eu te olhar assim/Pode esperar de mim/A declaração de amor mais linda/Que você já pôde ouvir/Quando eu disser: “Te amo”/Creia que eu não te engano/E ainda é pouco pra expressar/O amor que eu vou levar em mim/Por toda a vida/Que maior prova de amor eu posso te dar?/Pelo nosso amor eu vou orar/Prometo edificar o nosso lar/Enquanto eu respirar/Por toda a vida/Sabedoria, eu vou pedir a Deus/E esse amor que você vê nos olhos meus é teu/Nunca vai acabar/Vamos fazer durar por toda a vida"(Por toda vida-Voices).

A cantora Eishyla devia estar muito inspirada ao compor essa música.Na minha opinião, uma das mais bonitas do mundo gospel estilo romântico.A semana inteira meu coração cantarolou essa canção, o que me levou a meditar sobre o juramento que normalmente é feito em festas de casamento.Com certeza você já ouviu uma lista de acontecimentos bons e ruins diante dos quais os nubentes juram fidelidade total culminando com o célebre: "até que a morte nos separe".
Que bom seria se cada palavra dita naquele momento pudesse ser cumprida.Para permancer casado é necessário estar convicto de que você está disposto a fazer o outro feliz.É necessário saber renunciar e aprender a trabalhar a questão do perdão.O dia-a-dia, a rotina, as novas responsabilidades precisam ser vivenciadas passo a passo com a certeza de que os dois irão transpor as barreiras e estar cada vez mais juntos.E não tem como escapar dessa regra: a fidelidade jurada um dia será provada.É aqui que muitos tropeçam e o juramento vai para o espaço.

Falta de dinheiro, adultério, rotina, incompatibilidade de gênios(a mais famosa), doença, velhice e tantos outros motivos explicam mas não não justificam um casamento desfeito.Fico pensando na misericórdia de Deus para conosco a cada vez que falhamos.A aliança Dele nunca é rompida.Ele nunca nos lança fora.Com o casamento devia ser assim.Cada cônjuge cristão devia ter no coração a determinação de não jogar o outro fora, por pior que seja a dor ou o ultraje sofrido. Afinal, não pregamos o evangelho da cruz?

Visitei recentemente uma esposa com as emoções estraçalhadas por um marido que a maltratou fisicamente e emocionalmente.Dizia que não valia mais a pena, que o seu casamento havia acabado.Entretanto, a Palavra que Deus colocava no meu coração para falar-lhe não era de um fim de relacionamento mas de um recomeço.

Nada é impossível para Deus, inclusive reconstruir casamentos falidos.Aliás, Ele leva muito a sério esse compromisso e é especialista em restaurar lares destruídos porque Ele é o criador e sustentador da família.Deus se importa e se move para mudar circustâncias em resposta às orações de esposas e maridos desesperados.
Sejamos fiéis ao nosso cônjuge e ao Senhor não apenas nas horas de alegria, saúde e prosperidade mas também em situações adversas.Mantenhamos firmes o "até que a morte nos separe" com a certeza de que o cordão de três dobras não se quebra.Deus é sempre fiel.


























Um comentário:

Eveline disse...

Danielle,

Tudo bem? Muito lindo seu post. Realmente, casamento é benção! Posso dizer com propriedade! Deus me deu um marido maravilhoso e, juntos, temos desfrutado de muita felicidade. Achei também importante você destacar as dificuldades. Elas aparecem, é verdade, mas com Jesus no controle, muito amor e diálogo, conseguimos superar os obstáculos.

Que Deus abençoe sua vida!

Bjnhs